A Overthetop Consultoria Esportiva (OCE) foi a melhor equipe do 1º Gran Fondo New York (GFNY) realizado no Brasil. Foram oito atletas entre os 20 primeiros colocados na prova que ocorreu em Conservatória, no Rio de Janeiro neste domingo, 6 de agosto. Cerca de 1200 ciclistas amadores e profissionais participaram dos dois percursos, de 72km e 160km.

Foto: Ivo Gonzales

Hugo Prado Neto, da OCE-SSCC ficou com o 6º lugar, o melhor colocado da equipe. “Foi uma prova sem muitas serras longas, eram subidas relativamente curtas, com esforços acima do FTP. Eu tentei abrir nas serras, mas não teve uma subida suficientemente longa para me destacar”.

Ele se manteve no grupo de frente, com mais oito atletas até a subida final do dia, quando Antônio Garnero atacou e fragmentou o grupo. “Eu sobrei na última descida, e não deu para alcançar os líderes sozinho contra o vento no final da prova”, conta Hugo. Alguns grupos chegaram logo atrás, com atletas OCE como Gleidson Slompo, Alejandro Vergara, Pedro Neto, Geovani Frazão, Ricardo Ribeiro Júnior, Pedro Pelosini, Pedro Ferolla e Daniel Bahia.

O vencedor do GFNY-Brasil foi Antônio Garnero, com o tempo de 4h29min18seg, seguido de Orlando Alves (4h29min19seg) em 2º, Eder Camargo (4h30min37seg) em 3º, Daniel Mendes (4h31min20seg) em 4º e João Vitor de Oliveira (4h31min36seg) em 5º.

Comprometimento com o esporte

A médica Ana Ferolla, que tem uma filha e “trabalha muito”, foi uma das heroínas deste domingo. Ela completou o percurso longo em 8h02min40seg. “A rotina é uma orquestra. Treino sete vezes semana. São três dias de musculação e quatro de ciclismo, sendo que um deles no rolo, em casa. Não sobra muito tempo para imprevistos”, brinca.

Além dela, o engenheiro César Barboza se superou. Ele pedalou 160km pela primeira vez, e concluiu a prova com 6h37min45seg. “É uma rotina dura, mas prazerosa para quem é apaixonado pelo ciclismo. Acordo duas vezes durante a semana às 3h da manhã para treinar das 4h às 5h30.Depois ainda vou para o escritório trabalhar das 8:30 às 19h”, conta. No dia da prova, ele conta que seguiu os conselhos do treinador, João Paulo Calado “Segurei na largada, no plano busquei encaixar nos pelotões e nos 20km ou 30km finais fiz a força que podia. Fiquei feliz com o resultado!”.