Será que eu preciso de um técnico? Essa talvez seja a primeira pergunta de um atleta que não consegue mais progredir. Estar sempre cansado e preocupado com lesões ligadas aos treinos são os primeiros sintomas de quem tem a necessidade de acompanhamento profissional.

Reflita sobre quais fraquezas você quer melhorar e quais vantagens quer fortalecer. Defina suas provas preferidas e saia em busca de melhor pessoa para estes objetivos específicos. Nem sempre o técnico mais renomado será o melhor para o seu caso. Assim como cada atleta é único, cada coach tem suas particularidades.

Por isso, é importante juntar todos esses questionamentos e entrar em contato com pelo menos três técnicos de estilos diferentes. Converse com eles, e se possível, tenha uma conversa cara a cara. O relacionamento entre vocês é o que mais fará diferença a longo prazo. Mas lembre-se: O treinador apenas criará um ambiente favorável para a sua evolução, o responsável por ela sempre será você.

Por mais que sejamos únicos, existem competências que devem estar presentes em todos os treinadores. Fique atento a elas:

Conhecimento técnico:

Planejamento de treinos: o treinamento de um atleta possui centenas de variáveis que estão em constante mudança ao longo da temporada. Um profissional esportivo será capaz de analisar esses dados e transforma-los em uma planilha de estímulos ideal para os objetivos de cada indivíduo;

Credenciais: é importante observar os resultados de atletas do treinador e comparar com os seus objetivos. Nem sempre o coach do campeão mundial será o melhor para um iniciante. Busque por pessoas que estão acostumadas a lidar com ciclistas com o perfil e nível semelhante ao seu;

Experiência: além de ter conhecimento sobre treinamentos, um bom técnico deve ter experiência de campo. Um treinador que participa ou participou de muitas corridas tem mais chances de te ajudar a melhorar

Adaptabilidade: nem sempre os treinos saem da forma planejada. Por isso, um bom técnico deve ter a sensibilidade de identificar essas mudanças e adaptar os próximos estímulos para tirar o máximo possível do atleta.

Psicologia esportiva:

Organização: estruturar bem uma temporada é uma das funções mais importantes do técnico. Arranjar os blocos de estímulos nas datas e volumes certos trazem vantagens psicológicas imensas para os atletas. É muito mais fácil e motivador treinar sem precisar se preocupar em estar no rumo certo;

Prestação de contas: Muitos atletas se motivam mais quando têm alguém para prestar contas e discutir as semanas de treino. Ter alguém acessível para falar sobre um acontecimento específico ou sobre a função de um determinado exercício faz toda a diferença;

Motivação: Há épocas em que é natural se afastar dos treinamentos. O bom técnico percebe esse distanciamento e ajuda o atleta a voltar ao foco.

 Administração do tempo:

Outras atividades: conciliar o ciclismo com a família, o trabalho e os estudos é um dos fatores chave para a performance de longo prazo. É preciso dividir a energia de forma sábia e responsável. Um coach conseguirá aproveitar ao máximo da energia disponível para os treinos, sem que faltem forças para realizar as outras atividades da vida.

Otimização: fazer mais com menos. Os técnicos são capazes de avaliar minuciosamente o desempenho em cada treino e planejar os próximos estímulos ao máximo, sem desgastar o corpo. Isso possibilita treinar menos e evoluir mais.