Pela primeira vez, uma equipe brasileira vai disputar o Swiss Epic na categoria elite. Hugo Prado Neto e Lukas Kaufmann, da OCE Cannondale Powerhouse, estão se preparando para uma das ultramaratonas mais deslumbrantes do calendário. A corrida deste ano será sediada na cantão de Valais, no sul da Suíça. A região é famosa por se situar bem no meio dos alpes, a cadeia montanhosa mais importante da Europa, e ser repleta de atrações turísticas. Com terreno árduo e picos de mais de 4 mil metros de altitude, é um lugar perfeito para sediar um evento deste calibre.

Serão cinco estágios mais um prólogo, que percorrerão 350 quilômetros e 12 mil metros de ganho de elevação. Durante os seis dias de competição, os corredores poderão se hospedar em três cidades-sede: Grächen, Leukerbad e Zermatt.

Grächen

Localizada a 1600 metros de altitude, a vila é comparada a uma cidade de conto de fadas. O centro histórico possui arquitetura tradicional, combinada com uma infraestrutura moderna para acomodar os visitantes.

Grächen já é conhecida pela aptidão natural para a prática de mountain bike. Existem percursos para todos os gostos, desde passeios planos ao longo dos canais até single trails técnicas com altimetrias desafiadoras. A cidade já foi sede do Swiss Epic na primeira edição da prova e em 2015.

Leukerbad

É uma cidade termal, que fica a 1400 metros de altitude. As fontes termais do spa da região são utilizadas desde a era romana e podem atingir 51º C. Eles podem ser utilizados tanto para relaxamento ou para a recuperação de atletas que treinam na região.

A organização do Swiss Epic recomenda pelo menos um dia de recuperação em Leukerbad para reconstrução dos músculos. Com 19 trilhas sinalizadas de todas as dificuldades, a cidade promete ter atrações durante o ano todo e para qualquer ciclista.

Zermatt

Caracterizada como “paraíso ao ar livre”, é a cidade mais famosa do Valais com a montanha mais fotografada do mundo, o Mattehorn. Em Zermatt não existem carros particulares, as pessoas são estimuladas a se deslocarem a pé ou por meio de táxis elétricos e carruagens.

As trilhas da região passam entre montanhas e lagos, com terrenos de pedra ou cascalho. A paisagem não poderia ser mais alpina. Montanhas e florestas de pinheiros são as vistas mais comuns nas single trails consideradas bem técnicas pelos especialistas.